Reputação de remetente

11/06/13


Reputação de remetente

As corporações, provedores de e-mail e entidades que combatem o spam na rede, postularam a seguinte equação: e-mail marketing = confiança + reputação. É de responsabilidade dos remetentes conquistarem sua reputação, através da aplicação das boas práticas de e-mail marketing.

O passo inicial para adquirir a confiança dos provedores de e-mail é a adoção dos métodos de identificação do remetente, que são: SPF (Sender Policy Framework), Sender ID e DKIM (DomainKeys Identified Mail). A identificação do remetente cria uma linha que separa os e-mails enviados pelos bons profissionais dos que são enviados pelos spammers. Este processo é imprescindível para adquirir a confiança dos provedores.

Também é necessário que o processo de opt-in seja transparente (de preferência double opt-in), e que o processo de opt-out realmente funcione, e seja preferencialmente alcançado com apenas um clique. Isso garantirá que suas bases de contatos sejam somente de pessoas realmente interessadas em receber seus e-mails. A ausência de um link de descadastramento da lista no rodapé da mensagem poderá fazer com que os destinatários cliquem no botão "marcar como spam", influenciando negativamente na sua reputação de remetente.

O passo seguinte é fazer com que suas bases de contatos tenham um baixo índice de endereços inválidos. Enviar uma mensagem em massa para vários e-mails inexistentes é um comportamento típico de spammers, e é percebido pelos provedores de e-mails. Existem alguns sistemas antispam que são configurados para monitorar e limitar a quantidade de e-mails inválidos e, se o remetente ultrapassar uma quota previamente estipulada, as mensagens restantes são rejeitadas.

A reputação de remetente é conquistada ao longo do tempo com base no seu comportamento e no comportamento do destinatário. Quanto mais usuários interagirem com as suas campanhas de e-mail, melhor serão vistos os seus domínios e IPs de envio por parte dos provedores. Por outro lado, é importante que o conteúdo seja relevante e desperte a atenção de quem está recebendo o e-mail, porque mesmo existindo o otp-in, se os destinatários passarem a não mais abrir suas mensagens, por falta de interesse, isto será visto negativamente pelos provedores dos destinatários, ao interpretarem a mensagem como indesejável. Com isso, os próximos envios poderão ser encaminhados diretamente para o lixo eletrônico. Uma dica interessante que se aplica neste caso é a utilização de listas segmentadas, aumentando assim as chances da sua mensagem ser aberta.

Jamais utilize listas compradas ou adquiridas de alguma forma de terceiros, estas listas estão cheias de e-mails inválidos e os famigerados spamtraps, que são e-mails utilizados como armadilha pelos provedores para saber se o remetente está extraindo endereços aleatoriamente na internet. Esta técnica consiste em espalhar em pontos estratégicos da rede endereços que possam ser coletados pelas pessoas que estão pretendendo enviar e-mails não solicitados, caracterizando prática de spam. Há dois tipos de spamtraps, os que são criados e espalhados na rede para serem coletados, e também e-mails que um dia foram ativos, mas que ao serem desativados pelos seus donos foram transformados em spamtraps. Este segundo tipo é muito mais difícil de controlar, pois mesmo que sua lista tenha sido sempre totalmente opt-in, contatos que não interagem mais com suas mensagens nos últimos meses podem se transformar numa ameaça à sua reputação.

Por fim, seguir à risca o Código de Autorregulamentação para Prática de E-mail Marketing na criação e envio das campanhas, para garantir que estará realizando corretamente todos os passos para conseguir uma boa reputação de remetente.

Newsletter

Inscreva-se para receber notícias e artigos sobre e-mail marketing.


* Nome
* E-mail

Twitter