Os Spamtraps

03/01/13


Spamtrap

É muito importante ler as informações abaixo antes de sair comprando qualquer lista de e-mails na internet.

Spamtraps são e-mails "armadilha" que os provedores criam e espalham pela web. Esses endereços de e-mail são usados para identificar IPs e domínios que estão fazendo prática spammer. Por serem e-mails que não possuem "dono", não podem se cadastrar para receber e-mail marketing, portanto, são armadilhas que denunciam a empresa que pratica spam, pelo fato de ter recebido um e-mail sem autorização.

Outro detalhe importante é que o spamtrap é um endereço de e-mail normal, como qualquer outro existente, sendo praticamente impossível distinguí-lo dos demais. Se as mensagens que sua empresa envia estão sendo frequentemente classificadas como spam, pode ser que sua base de e-mails possua spamtraps.

Os ISPs (Internet Service Providers) e ESPs (Email Service Providers) utilizam duas categorias de spamtraps, conhecidas como "Pristine" (armadilhas puras) e "Recycle" (armadilhas recicladas).

Na categoria Pristine ou armadilhas puras, endereços de e-mail são criados e introduzidos em listas adquiridas de terceiros ou colocadas em sites que capturam mensagens e endereços de e-mail, e também espalhados propositalmente na internet para serem coletados. Utilizar listas não autorizadas, ou que não foram criadas com o mecanismo de double opt-in, aumenta consideravelmente o risco de ter spamtraps na sua base de e-mails.

Na categoria Recycle ou armadilhas recicladas, são utilizados endereços de e-mails antigos, que não interagem mais, ou de pessoas que abandonaram suas contas após um longo período sem atividade, ou endereços inativos, que eram de clientes do provedor mas que foram retirados de uso. Depois de um período indeterminado de inatividade, o ISP ou ESP desativa a conta e a utiliza como armadilha. Uma vez que um spamtrap é detectado, o remetente imediatamente terá que recuperar a confiança dos provedores dos destinatários. Portanto, uma abordagem muito eficiente é trabalhar apenas com e-mails que interagem com frequência com as campanhas.

A presença destes endereços na lista de contatos demonstra para o provedor do destinatário que o remetente está comprando listas de contatos ou capturando e-mails aleatoriamente na internet através de algum extrator. Quando spamtraps são detectados, ocorre um enorme impacto sobre a reputação do remetente, pois provoca a queda das taxas de entrega e colocação na caixa de entrada (inbox placement) dos destinatários, resultando em efeitos devastadores sobre o sucesso e reputação das campanhas e a marca da empresa e ainda efeitos sobre a reputação do remetente por diversos meses.

Para não correr o risco de enviar e-mails aos spamtraps devemos seguir os procedimentos abaixo:

1 - Utilizar Double Opt-in

O Double Opt-in é um recurso que permite saber se o e-mail que está sendo cadastrado existe de fato ou se ele está correto através de uma interação em um e-mail de confirmação que é enviado ao endereço informado. Com esse recurso, um e-mail spamtrap não fará parte da base de contatos pois ele não confirmará o recebimento do e-mail. Desta forma, o endereço não irá para sua lista de contatos de e-mails confirmados.

2 - Enviar e-mail marketing para contatos que interagem com o e-mail

Separar os e-mails que já interagiram com seus comunicados é garantia de enviar para pessoas que realmente existem. Um spamtrap nunca interage. Como dito acima, é um e-mail que não possui um dono. Porém, alguns provedores utilizam e-mails sem atividade e os transformam em spamtrap. Dessa forma, ter uma base muito antiga, mesmo sendo Double Opt-in, não será garantia de base sem spamtraps.

Desta forma, para evitar cair na armadilha, o melhor a fazer é garantir o uso das boas práticas que norteiam a criação e envio de e-mail marketing, utilizando recursos de Double Opt-in e analisando constantemente o comportamento da base para enviar campanhas de e-mail marketing somente para contatos que interagem com os e-mails enviados.

Na Target Box, você consegue facilmente filtrar suas listas com e-mails que já abriram alguma de suas campanhas, bem como aqueles que clicaram em algum link, seja para realizar um disparo somente para estes endereços vez ou outra, seja para exportar listas apenas com endereços que já interagiram com alguma campanha.

3 - Eliminar e-mails com erros de digitação e contas padronizadas

Outras maneiras de ameaças de spamtraps em listas supostamente opt-in são endereços com erros de digitação, portanto impossível de serem confirmados pelo processo de double opt-in, e também contas comuns padronizadas, tal como explicado mais adiante. Muitos ISPs compram domínios com erro de digitação, como por exemplo o domínio htmail.com.br, que como se pode ver na imagem abaixo, foi registrado pela detentora do domínio hotmail.com.br, no caso a Microsoft. Muitos podem achar que o único objetivo da compra desses domínios errados seja redirecionar os usuários em caso de erros de digitação no navegador, porém um e-mail criado com este domínio, jamais conseguiria ser double opt-in, pois nunca seria confirmado, acusando assim que a lista não é confirmada.


Domínio com erro de digitação

Também contas comuns padronizadas podem ser um problema, contas tais como: [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], [email protected], entre outros, certamente são endereços de e-mail que sendo dos próprios departamentos genéricos dos ISPs/ESPs, verão qualquer envio não autorizado e marcarão o remetente como spammer. Domínios que estão desativados ou não existem mais também são motivo de preocupação.

Newsletter

Inscreva-se para receber notícias e artigos sobre e-mail marketing.


* Nome
* E-mail

Twitter